sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O NOVO OU A EXPERIÊNCIA?

  Ainda há águas para rolar até o resultado das urnas na politica de Lagarto. O que se percebe é quase uma ausência petista no pleito. alguns já migraram para a Rede Sustentabilidade, partido o qual o PT brigou para que Marina Silva não a fundasse. Vá entender a política. Mas alguns nomes notados isoladamente como do ex-secretário municipal de agricultura Antonio Carlos. Por um aspecto geral, concentra-se a disputa nos maiores grupos: Valmir Monteiro, Jeronimo Neto e uma ascensão de Rosendo Ribeiro o qual vai tentar fazer divergência aos dois grupos. 
  Valmir garante que registrará sua candidatura no momento oportuno e diz não se preocupar no boato o qual referem-se que lançará o nome de seu filho, Valmir Rafael. Há muita expectativa no seu registro no cartório eleitoral e só saberemos no final do dia 15 de agosto ao término do prazo para homologação de candidaturas. 
  Por outro lado, fala-se que Jerônimo aposta no crescimento político de seu neto, mesmo tendo a administração de seu agrupamento político desastrosa. 
  Esta será a primeira campanha a nível municipal com o advento da ferramenta whatsapp, onde as informações será com mais velocidade e todos terão igualdade para divulgar o nome e número. Tanto que outras agremiações partidárias estão também no mesmo páreo nesse aplicativo, como Marcelo do PSOL, Tenente Willians e Enoque Araújo da Rede.  

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

CAMINHOS INCERTOS

  A história política do Lagarto permuta há 7 anos sem a presença principal no executivo sem a família Reis ou Ribeiro, apesar das lideranças serem atrelados a elas. nenhuma liderança chega a prefeitura sem ser ladeado a elas. Para o legislativo é mais fácil, porém árduo a exemplo do Deputado Valmir Monteiro o qual se elegeu várias vezes com a família Ribeiro sendo sua principal ameaça. 
   Em 2016 há um incógnita, Lila vai mesmo "peitar" pela terceira vez a sua campanha mais difícil, mesmo com a máquina administrativa em seu favor diretamente. Há uma pressão forte do grupo "saramandaia" rejeitando a ideia de uma reeleição, muito embora os que estão ao seu lado administrando prometem levar a bandeira amarela as ruas com galhardia. A decisão cabe tão somente a ele, desistir ou tentar convencer o grupo que merece novamente comandar os destinos da cidade por mais quatro anos. Para isso tentará fazer em um ano parte de suas promessas de campanha e diminuir a sua rejeição ao eleitorado.
   Por outras "bandas" o destemido Cabo Zé, intitula-se pré-candidato. O que a sociedade não engole mais a seriedade de seu nome na disputa. O mesmo após concluir-se a vitória de Lila no pleito passado, declarou de público ter votado no tucano, mesmo tendo sua esposa como também uma concorrente a prefeitura. "Águas irão rolar", ainda cedo. Vamos aguardar.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

COISAS DO LAGARTO


 Lembrei agora da mediocridade dos políticos de outrora os quais pegaram uma suposta pedra com um formato de um lagarto e mandaram demolir para o calçamento de uma rua, parece "anedota", mas está nos anais da história. Se bem que fatos parecidos já aconteceram quase que em tempos atuais a exemplo de um belíssimo coreto na Praça Filomeno Hora onde tocava a filarmônica local e servia como árvore de natal enfeitada com uma belíssima iluminação. Santa ignorância. Sem contar com as destruições do antigo prédio da delegacia próxima a Escola Adelina Maria e o terreno ninguém sabe qual a transação foi feita por estar nas mãos de terceiros.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

DONA CRISE

Prefeita Interina Norma Dantas
  Mesmo recebendo um pedido do Prefeito Williames Fraga (Lila), afastado para tratamento cirúrgico de despedir mais 80 funcionários contratados pela Prefeitura de Lagarto, Norma Dantas(Prefeita Interina) não atendeu e pensamos que a mesma passará de volta a "batata quente" para o gestor oficial. Exonerar funcionários foi a única forma encontrada para enxugar a folha de pagamento, pois todo o final de mês a prefeitura tem que raspar dos cofres os "míseros" reais que sobram. Há meses que o pagamento de funcionários sofre atraso e que ninguém no mundo pode resolver esse problema a não ser a própria gestão a qual vai ter que "cortar na própria carne" para respirar uma administração sem problema com salário. A grande maioria dos municípios brasileiros, mesmo sem condições superlotam os setores públicos de funcionários e depois choramingam por uma solução. Esperamos que o município reaja a esta situação e que possa voltar a ecoar a voz de gestões anteriores os quais alarmavam na cidade: "salário em dias".

segunda-feira, 23 de junho de 2014

DUELO DE GIGANTES

   

     Com a definição de João Alves em ladear-se a pré-candidatura de Eduardo Amorim a governadoria estadual, muda-se o quadro político e coloca Jáckson Barreto na "berlinda". Enquanto Valadares, procura um ninho para se aquecer e mesmo que vindo apoiar o pré-candidato peemedebista não irá fazer nenhuma diferença politicamente, já que Valadares já pertencia o bloco governista desde da campanha de 2006, quando seu aliado Belivaldo Chagas, foi candidato a vice na chapa do saudoso Marcelo Déda e em 2010, Valadares fez dobradinha ao senado com Eduardo Amorim, ambos deram apoio a Marcelo Déda na sua reeleição. Em Lagarto, tudo definido e não haverá mudança de apoio as futuras chapas majoritárias por parte das maiores lideranças. O grupo do prefeito Lila(saramandaia), juntamente com a família Reis, Zezé Rocha e a vice Prefeita, Norma Dantas, deputado Gustinho Ribeiro e sua família, parte do Bole-bole, PT e a grande maioria dos vereadores, senão todos, estarão num mesmo palanque de Jáckson Barreto.( muito embora a sociedade lagartense de ambos os lados não está "digerindo bem essa mistura". E esse grande investimento político da situação pode ser um suicídio. Por outro lado, apenas o ex-prefeito Valmir das grande lideranças já levanta a bandeira do PSC. Terá nas mãos uma grande responsabilidade por ter que coordenar a sua campanha, terá que batalhar sozinho com outras pequenas lideranças a "vender o peixe" do Senador Eduardo Amorim.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

QUEM FICA COM QUEM?

Rogério CarvalhoValmir Monteiro André Moura PscGustinho Ribeiro II                                                                           Apesar da maioria dos vereadores que acompanham Gustinho Ribeiro, estarem com o Deputado Federal Fábio Reis, ainda não há uma definição com quem ficará o nobre líder do governo na Assembléia Legislativa. Tudo ainda vai depender "das arrumações" das chapas. No entanto depois do carnaval vislumbrará as "núpcias políticas". Tem muita "farinhada" e muita delas previamente entrelaçadas terão que se divorciar a depender da ordem maior de seus caciques e das "conversas". Tudo indica que Rogério Carvalho não receberá o apoio de Valmir Monteiro e a quantidade de votos para Rogério obter em Lagarto ficará difícil repetir ou chegar perto da eleição anterior com mais de 11 mil votos. Há um "namorico" de Valmir com André Moura" e tudo indica um "casamento", mesmo porque ambos são do mesmo partido(PSC) e seguirão o pensamento da chapa majoritária. As aparições de ambos juntos já se tornou rotina e que as dúvidas vão desaparecendo. Recentemente houve um problema de Valmir com Rogério a respeito do novo partido PROS e Rogério, ultimamente nega-se a receber ligações do ex prefeito. Tem um "angú de caroço" nessa história a desvendar. 

O "ABSOLUTO"

 A única meta do jornalista Cabo Zé em Lagarto é destruir a figura política de Valmir Monteiro. Atualmente lamenta ter ajudado para a vitória de Lila Fraga. Cabo, anunciou que em breve apresentará seu programa "Falando a verdade" também nas quartas a fim de denunciar as "mazelas da administração". Esquece quando se refere ao ex-prefeito de chamá-lo de "alcaide". Se alcaide é um administrador, deve chamá-lo de ex-alcaide". Senão vai direcionar sua fala para o atual gestor. Em Lagarto a maioria dos políticos esquecem rápido o que dizem dos outros, porque a pouco tempo Cabo com um carro de som falava e apontava para os bannere's do atual Gustinho Ribeiro o taxando como "traidor". Agora, segundo o mesmo "O bole-bole está mais unido como nunca". (risos). Primeiro coloca o ódio nas palavras e que vai destruir alguém, chora e depois fala em Deus. "Normal" e não faz muita diferença dos demais. A única diferença é que unir as forças o Cabo precisa aprender, porque esquece que lá na frente mesmo com o ex-prefeito "sucateado" por sua fúria esse "bole-bole" de "merda" não vai a lugar algum, porque há pessoas que por problemas pessoais e por não teve a oportunidade de angariar o que sonhava coloca a deriva não apenas as pessoas de seu desafeto, mas boa parte do grupo a qual se diz "está unido".